Nanã Burukê

A mais velha das Obás. Sua energia vem de tempos imemoriais, e está associada à própria criação da Terra e dos homens.  Senhora do barro e do lodo, seus elementos. Material com que Olorum criou todas as criaturas. Sincretizada como Nossa Senhora de Santana. Responsável para que todos retornem ao início, retornem a sua origem, para que possam renascer novamente cumprindo o ciclo da vida e da morte. É um dos Elementais mais antigos criados por Olorum, e caracterizada como uma anciã, desta forma é conhecida como a avó da humanidade. É a guardiã do reino dos Eguns. É Nanã que nos acolhe logo que fazemos a passagem para o lado espiritual, nos guardando e nos protegendo de espíritos mal-intencionados ou trevosos.  Extremamente amorosa, porém, igualmente sistemática deve ser sempre tratada com respeito e zelo.

Uma pessoa que tenha Nanã como Orixá de cabeça, pode levar em conta principalmente a figura da avó, são pessoas que agem com calma, dignidade e gentileza sendo também muito carinhosas às vezes até em excesso, levando o conceito maternal ao exagero. São também ranzinzas, preocupadas com detalhes, com forte tendência a sair censurado os outros. São pessoas lentas no cumprimento de seus trabalhos e que julgam ter a eternidade à sua frente para acabar seus afazeres. Não tem muito senso de humor, o que as faz valorizar demais pequenos incidentes e transformar pequenos problemas em grandes dramas. Possuindo ao mesmo tempo, grande capacidade de compreensão. São o tipo de pessoas que não conseguem compreender direito as opiniões alheias, nem aceitar que, nem todos pensem da mesma forma que a sua. São pessoas que envelhecem rapidamente, apresentando mais idade do que realmente têm. Por causa desse fator, o perdão aos que erram e o consolo para os que estão sofrendo, é uma habilidade natural.